escrever

4 dez

construir poemas à força
rasgar a folha com versos
impingir às coisas mistérios
então cobri-las de nomes
lutar contra o impulso
morder os dentes e o punho
saltar
linha após linha
até que o poema se dê por exausto

Marcos Prado – Ultralyrics, p. 45

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: