Arquivo | yo RSS feed for this section

fim.

11 nov

Imagem

Pisquei os olhos e terminou. Dei abraços, ouvi as melhores palavras, disse adeus, chorei. Fim. Mais um. Agora, parece que me falta aquela coragem toda que enchia o peito umas semanas atrás – agora, só sinto saudade.

La memoria guardará lo que valga la pena. La memoria sabe de mí más que yo; y ella no pierde lo que merece ser salvado. – Eduardo Galeano, em Días y noches de amor y de guerra.

Anúncios

12 de junio de 2011

10 ago

es que te quiero
como la mar
quiere el atardecer
como los ojos
buscan brillo en otros
como el cuerpo desea
el calor de una caricia

querer

21 jun

Me encanta que me contestes sólo cuando quieras
que me olvides cuando no me necesitas
y que finjas una sonrisa para que no me caigas mal.
Que esa ironia toda me vuelve loca, a menudo
y que a menudo también te quiera cada vez más
porque ya no hay otro querer que no sea el tuyo.

remendos

20 mar

Engraçado como a mágoa vem de graça. Pro outro. Pra gente, sempre tem uma razão. Não importa se é uma palavra mal colocada no meio da frase, se é uma negligência momentânea, um sorriso que não veio. Sempre dói.

E aí você escolhe superar e dizer pra si que não foi nada, nadica. Escolhe lutar contra aquele incômodo cada vez que volta a ver, falar, ouvir o outro. Às vezes vem até um pedido de desculpas, maquiado de hahahas e hehehes em meio a outro assunto. Remendos. E a vontade é de gritar a plenos pulmões: você não me conhece?

perder-se para se encontrar

29 jan

Eu vivo dizendo que quero viajar, sair daqui, morar fora, ser eu em outro lugar. E acabo ouvindo “não adianta fugir do que está dentro de si”. E não é?

Mas que é preciso se perder pra se encontrar, ah, isso é.

 

“Life is about the people you meet
And the things you create with them
So go out and start creating
Life is short.
Live your dream and share your passion.”

tenho sido afortunada de poder dividir minhas paixões com pessoas incríveis.

uma

8 dez

Às vezes é mais do que eu posso suportar.
E aí desce uma só.
Solitária, sem pressa.
Longa.

Uma lágrima que reúne tanto, mas tanto.

E hoje,

30 nov

que tava me achando bonita, não te vi!

Good Will Hunting

20 nov

Engraçado como as coisas acontecem, como se desenrolam, como dependem uma das outras, como estão intimamente ligadas. Se eu não conhecesse um menino, nunca assistiria ao filme que um amigo me indicou, tanto tempo atrás.

E aí que é bom mesmo. Surpreendente como Ben Affleck e Matt Damon escreveram esse roteiro incrível que Gus Van Sant dirigiu. Ganharam o Oscar por ele, na época. 1998? Eu tinha 10 anos e sequer sonhava que… nossa.

Mas melhor do que tudo isso, mais interessante do que tudo isso, é como um filme pode falar diretamente a mim. Não a todas as outras pessoas que já o viram, mas a mim. Como se os diálogos tivessem sido escritos para que hoje, 20 de novembro de 2011, eu os ouvisse. Adoro essa identificação que a arte proporciona. Em qualquer forma que seja.
É o que a faz tão especial.


Will : I know what I’m doin’. Yeah. Don’t worry about me. I know what I’m doin’. Yeah, but this girl was, like, you know, beautiful. She’s smart. She’s fun. She’s different from most of the girls I’ve been with.

Sean : So call her up, Romeo.

Will : Why, so I can realize she’s not that smart. That she’s fuckin’ boring? You know, I mean, you don’t– This girl’s, like, fuckin’ perfect right now. I don’t wanna ruin that.

Sean : Maybe you’re perfect right now. Maybe you don’t wanna ruin that. But I think that’s a super philosophy, Will. That way, you can go through your entire life without ever having to really know anybody.